Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barreirense-futebol Contributo para a sua história

Blog do sócio Carlos Cipriano Alves.Arquivo sobre o futebol do F.C.Barreirense desde a sua fundação em 1911. Fontes:arquivo pessoal e comunicação social.

Barreirense-futebol Contributo para a sua história

Blog do sócio Carlos Cipriano Alves.Arquivo sobre o futebol do F.C.Barreirense desde a sua fundação em 1911. Fontes:arquivo pessoal e comunicação social.

1939-40-SPORTING-BARREIRENSE

9)1939-40(17-3-1940)sporting-fcb.JPG

Nomes errrados na constituição do Barreirense

Simas é o Limas e Ripa é Rita.

9ª.jornada do campeonato nacional da 1ª.divisão

17 de Março de 1940

1939-40-BARREIRENSE-ACADÉMICA

5)1939-40(18-2-1940)5ª.j.c.nac.fcb--academica.JPG

5)1939-40(18-2-1940)5ª.j.-c.nac.fcb-academica.JPG

5ª.jornada do campeonato nacional da 1ª.divisão

18 de Fevereiro de 1940

Na Académica o defesa Antunes é nada mais nada menos que o futuro selecionador nacional de futebol José maria Antunes.
(Seleccionador em 1957-1960; 1962-1964; 1968-69
 José Maria Antunes era já, ao tempo em que assumiu o cargo de Seleccionador Nacional, uma figura castiça do futebol português. Como jogador da Académica, e um dos primeiros vencedores da Taça de Portugal, em 1939, tornou-se famoso por jogar sempre com um lenço amarrado à cabeça. «Zé Barrote», como era conhecido pelos amigos, trouxe para a Selecção Nacional uma filosofia revolucionária de renovação: simplificar os processos de escolha e preparação dos seleccionados, substituindo os anteriores largos ciclos de observação, com os jogadores a serem obrigados a constantes viagens semanais – para na maior parte das vezes fazerem o «frete» de um treino conjunto –, por uma escolha definitiva em cima do jogo, com alguns dias de estágio, treinos diários por sectores e um treino formal, em jeito de jogo a sério, verdadeiro exame final do conjunto escolhido e do plano arquitectado. Uma tentativa, enfim, de «profissionalizar» o trabalho da selecção nacional. Com Travassos e Vasques, grandes «estrelas» da época, a ultrapassarem os 30 anos, José Maria Antunes avançou também para o lançamento de novos internacionais como Mário Torres, Rocha, José Augusto, Fernando Mendes, Acúrsio ou Vicente, por exemplo. O seu primeiro período como Seleccionador Nacional durou três anos e pode dizer-se com propriedade que José Maria Antunes foi o impulsionador da grande mudança que levou ao impacto tremendo de Portugal no mundo do futebol nos anos 60, sobretudo quando reestruturou o trabalho por si iniciado durante a sua segunda experiência no cargo. A sua terceira passagem pelo lugar de Seleccionador Nacional já não seria feliz, incapaz que foi de apurar a equipa que fora terceira classificada quatro anos antes para o Mundial do México, em 1970. 

1939-40-VITÓRIA SETÚBAL-BARREIRENSE

3)1939-40(6-2-1940)3ª.JORN.CAMP.NACIONAL SETUBAL-

3)1939-40(6-2-1940)3ª.JORN.CAMP.NACIONAL SETUBAL-

3)1939-40(6-2-1940)3ª.JORN.CAMP.NACIONAL SETUBAL-

Na constituição da equipa do Barreirense há que emendar o nome de Silas  para Limas e acrescentar o de Joaquim Preto que está em falta na publicação dum jornal da época.

3º.jornada do campeonato nacional da 1ª.divisão

6 de Fevereiro de 1940

Este jogo foi adiado de de dia 4 devido ao mau tempo

3)vitoria-fcb-adiado.png

ELISEU

eliseu-Académico FC.jpg

Médio e defesa,Eliseu R.F.Cavalheiro nasceu no Barreiro em 5 de Dezembro de 1921.Após ter feito a época de 1938-39 no Barreirense,o Académico do Porto,mediante o pagamento de 4 contos conseguiu a sua desvinculação.Depois de quatro épocas ao serviço dos nortenhos,Eliseu que além de futebol praticava  também basquetebol e atletismo simultâneamente muda para o Sporting onde realiza 21 jogos na época 1943-44,antes de rumar a Angola para representar o Sporting de Luanda.

Eliseu faleceu em S.Paulo,Brasil para onde emigrara nos anos 70.

Pág. 1/2